sábado, 10 de maio de 2014

Sobre a vingança e a justiça com as próprias mãos

Em momentos como este que vivemos, onde vemos diariamente o quanto somos prejudicados por pessoas que deveriam nos proteger, fica difícil deixar as coisas acontecerem e simplesmente confiar que a justiça será feita. Isso causa este efeito de o povo se revoltar e fazer sua própria justiça, pois esse é nosso instinto natural.
Este instinto agressivo foi muito útil durante milhões de anos, enquanto vivíamos em pequenas tribos, correndo o risco de sermos massacrados por tribos rivais ou mesmo outros animais. Somos animais fortes e agressivos, tentando evoluir para criaturas pacificas e inteligentes, mas quando passamos por momentos como este, os instintos básicos gritam com força.
Temos o poder de controlar nossos instintos, é claro, mas essa nem sempre é uma tarefa simples. Para exemplificar, experimente não comer quando estiver com fome, ou não beber quando estiver com sede. Da mesma forma, quando nos sentimos agredidos sentimos a necessidade básica de agredir de volta e com mais força, afinal, segundo as leis da natureza, somente os mais fortes e preparados têm chances de seguir em frente, ou seja, se não fosse esse nosso instinto, sequer estaríamos aqui.


Acontece que, o motivo de estarmos aqui, vivos agora, é superar estes instintos primitivos e evoluirmos para criaturas mais inteligentes e menos agressivas, mas, esse não é um processo simples.
No caso dos linchamentos que andam ocorrendo atualmente, fica difícil culpar as pessoas que simplesmente estão cansadas de serem agredidas e buscam sua vingança, mas, o risco de pessoas inocentes pagarem por isso é enorme. Então, o melhor é não julgarmos para que não sejamos também julgados.
Inocentes morrem todos os dias, pelos motivos mais diversos, então, a revolta do povo não é um mal tão grande quando o mal que o povo vem sofrendo.

Sejamos fortes e resistamos que esse momento logo passa!

Fique em paz!
Postar um comentário