quarta-feira, 27 de junho de 2007

Poltergeist

Entende-se como "poltergeist" o conjunto de fenômenos produzidos espontâneamente, que consiste em ruídos ou deslocamento de objetos, podendo ter a duração indeterminada. A tradução da palavra é "espírito barulhento" ou "espírito que bate".

Casos de poltergeist datam de 530 da nossa Era até os dias atuais e são caracterizados por sons misteriosos ou atividades psicocinéticas feitas pelo inconsciente, denominado como "hóspede desconhecido".Os objetos na maioria das vezes estão quentes (na Inglaterra, em uma ocasião, a temperatura passava de 100C).

Já foram vistos projéteis que chegavam à casa rapidamente diminuindo a velocidade, caindo, sem bater em nada. Também foram registrados casos de móveis pesados derrubados ou mesmo peças pequenas, como bibelôs deslocados de um móvel e pousados com delicadeza em outro lugar.

Os fenômenos de poltergeist mais comuns são ruídos de passos ou correria, anormalidade nas instalações elétricas ou telefônicas, abertura de portas, inclusive de armários, clarão ofuscante, vozes, sopros gelados, odores perfumados, fenômenos incendiários, estouro de lâmpadas elétricas, etc.

Na França são registrados oficialmente um fenômeno a cada oito meses. A duração do poltergeist pode ser de um dia até dezoito meses. Um caso, excepcionalmente, durou doze anos. Em uma dessas ocasiões, um fotógrafo foi atingido por um objeto na testa, quando registrava o fato em uma casa.

Quase sempre, os responsáveis pelo poltergeist são mulheres, crianças e adolescentes. A média da idade das pessoas pesquisadas varia entre doze e dezessete anos. Em sua maioria, passavam por graves problemas afetivos ou estresse.

A forma atípica do fenômeno é quando o resultado atinge o agente. Em Sorocaba, cidade do interior de São Paulo, o fenômeno deslocou móveis, feriu os animais domésticos e a agente era uma jovem de doze anos. Em outra ocasião, esta jovem teve seu rosto queimado com água fervente, quando teve a chaleira arrancada das suas mãos. Os familiares estavam sempre mudando, achando que o problema era com a casa, mas tudo continuava acontecendo.

Na Bahia, a casa de Raimundo Moreira Vaz, morador da fazenda Lagoa do Mato, a um quilômetro de Euclides da Cunha, onde há cem anos ocorreu a Guerra dos Canudos, ganhou fama ao ser atingida por uma chuva de pedras, combustão espontânea, aparecimento de balas de revólver, cartuchos de pólvora, redes, panelas amassadas, marretas, facões e vários tipos de artefatos que foram usados na rebelião de Canudos. Surgiram do nada. Acredita-se que o agente era o filho de Raimundo, o caçula Adelson, de treze anos.

Na verdade, estudando estes fenômenos podemos ter uma idéia do nosso poder mental e verificar que o homem é um ser bem mais complexo do que acredita a ciência clássica.
Fonte, mais e mais

Postar um comentário