segunda-feira, 13 de abril de 2009

Atos

Na noite de 9 de abril de 2009, dirigindo para casa, aconteceu algo que me fez pensar em como cada pequenas atitudes que tomamos ou deixamos de tomar podem ser tão importantes.
A estrada que leva para minha chácara é deserta e extremamente sinuosa e por diversas vezes tm sido cenário de acidentes terríveis de verdade. Há alguns anos eu postei aqui um tópico sobre um acidente do qual participei e que resultou na morte de pelo menos uma pessoa.
Mas o caso que vou contar dessa vez não resultou em acidente.
Estava dirigindo, contornando calmamente as curvas da estrada do Cabuçu quando percebi que estava participando de uma situação complicada. Havia um carro na minha frente que estava em velocidade muito baixa e atrás havia um carro que estava claramente se preparando para ultrapassar. Porém, estávamos chegando em uma curva cega e o motorista de de trás iniciou a manobra de ultrapassagem. Nisso eu percebi que havia um carro vindo em alta velocidade no sentido oposto, e numa fração de segundo eu me coloquei na contra-mão, obrigando o motorista de trás a desistir da ultrapassagem.
E foi assim, em um instante eu evitei um acidente que poderia ter tido consequências terríveis.
Meu alívio maior ainda foi quando o motorista apressado finalmente me ultrapassou, na reta, e eu vi que no banco de trás do carro haviam três crianças.

Nossos atos definem quem somos.

Eu fui um anjo.

Postar um comentário